Futebol Amador: Copa Amigos da Paz Total (Resenha)

Nem só de ligas e jogos profissionais vive o País do Futebol, muito pelo contrário. Nos campos de várzea, ali se mantém ainda intacta, íntegra, o dito futebol raiz, em todo território nacional. Então, é justamente sobre uma dessas competições que venho hoje lhes falar, a começar pelo nome híper, mega, ultra sugestivo: Copa Amigos da Paz Total. Nos dia de hoje, tal movimento, tal iniciativa, merece e deve ser sempre muito valorizado, reconhecido e apoiado. Por isso resolvi tecer essas palavras, registrando aqui nesse nosso espaço. Afinal, aqui chama-se, não por acaso: Música e Arte. O que é o futebol, se não uma das manifestações de arte?

vem

Leia o resto deste post

Romance da Bela Inês – Alceu Valença

Tem músicas que simplesmente nos arrebatam. Sem grandes explicações, além do contexto histórico pessoal de quando se teve contato com a obra. A própria época, por si só, por ser um período bem distante do hoje, talvez seja a explicação… o saudosismo, a juventude… o destemor… hoje tudo mudou… importante que se diga: NÃO SÓ PRA MIM, NEM SÓ PRA VOCÊ… MUDOU PRA TODO MUNDO, pois é impossível ser o mesmo de 5 anos atras… que o diga de mais de 30 anos…. enfim… apreciem…

Mas eu tenho um espelho cristalino,
que uma baiana me mandou de Maceió

Os Argonautas – Caetano e Chico (text by 22)

Já dizia Ferdinand People (vulgo Fernando Pessoa): Navegar é preciso, viver não é preciso. Por isso a música que ilustra esse post.  Confiram:

Estamos vivendo tempos sombrios, de confinamento social… o que na maioria das vezes pra pessoas assim como eu sou: nem é algo tão ruim, até curto. Mas curto mais a nrliberdade, meu poder de escolha de sair, receber ou não meus amigos.

Leia o resto deste post

Chris Cornell and Quarantine

Essa quarentena tem me feito pensar muito no Chris Cornell. Não sei exatamente qual gatilho (até  porque parece meio óbvio: eu era muito fã do cara, adorava as músicas, algumas considero verdadeiros hinos, sou depressivo, o cara se matou… enfim… motivos talvez não faltem ainda mais em meio a tanto isolamento, mas eu ainda não consegui identificar).

Chris Cornell

Cosplay de JC.

O isolamento social que estamos vivendo tem muita coisa a ver principalmente com habilidade de inércia do ser humano… verdade seja dita: poucos conseguem. Ser humano é inquieto por natureza. Então, quarentena pra mim virou sinônimo de Like a Stone.

Porém I am the Highway, é outra muito recorrente no meu imaginário nesses dias…

Não vou tentar mais verbalizar o que eu nem consigo entender… Uma coisa é fato: Cornell deixou muitas saudades.

Então é isso galera, quem não quiser ver show ao vivo do Chris Cornell: fica em casa! (seqvme).

 

Cápsula do Tempo (O Dia em que a Terra Parou – Raul Seixas)

WhatsApp Image 2020-04-14 at 18.10.45

Música & Reflexão [14.04.2020]

Texto By Angela Oliveira

Ao futuro,

Ano 2020, quase 45 anos, pandemia, quarentena, medo, incerteza, teletrabalho, aquartelamento da humanidade, grupo de risco, ninguém está imune, isolamento social, milhões de vidas perdidas, economia balançada, desemprego, descrença, insensatez, poder público em crise, solidariedade…

Não foi em 2012 (Maias), mas, em 2020 a terra parou… um profundo momento introspectivo foi imposto. O inimigo, ardiloso, covid19. Inegavelmente, alguns enfrentamentos foram propostos, no âmbito social, econômico, político, individual, coletivo… nesse ínterim, a humanidade padece e a terra livre do redemoinho diário se refaz.

Oxalá, isso seja sinal de novos tempos, de uma cura irrestrita e quem sabe, enfim, a migração do homo autocentricus para o homo emphaticus.
Que ao final sejamos todos vencedores!!!!


Sobre a autora

Angela Oliveira

Tenho duas graduações, três pós, um mestrado, mas nada disso me define. O que me define mesmo é a minha gargalhada, dizem que posso ser reconhecida quando alguém ouve… Gosto disso, de ser lembrada pela alegria. No mais, sou tranquila, do bem, da paz, procurando sempre melhorar a lida com a vida, comigo mesmo, com as circunstâncias que me emparedam, tudo isso pra evoluir, do contrário tudo seria em vão.

AUTORA ANGELA OLIVEIRA

18:05 hs e alta noite já se ia… (Alta Noite – Arnaldo Antunes)

FOTO M&A 28032020

[MÚSICA & SOLIDÃO] 28.03.2020

Na foto, Maceió, 28 de março de 2020, 18:05 hs… E alta noite já se ia…

“Alta noite já se ia, ninguém na estrada andava
No caminho que ninguém caminha, alta noite já se ia
Ninguém com os pés na água
Nenhuma pessoa sozinha ia
Nenhuma pessoa vinha
Nem a manhãzinha, nem a madrugada

Alta noite já se ia, ninguém na estrada andava
No caminho que ninguém caminha, alta noite já se ia
Ninguém com os pés na água
Nenhuma pessoa sozinha ia
Nenhuma pessoa vinha

Nem a estrela-guia, nem a estrela d’alva
Alta noite já se ia, ninguém na estrada andava
No caminho que ninguém caminha, alta noite já se ia
Ninguém com os pés na água”

 

TADEU CASTRO

> SOBRE O AUTOR
Um cara sem diplomas na parede. Não é, e nem pretende ser, especialista em coisa alguma. Trata-se apenas de um bom observador (nada mais do que isso), pois isso lhe basta e o faz um ser livre, seja no olhar, no pensar e no viver.

AUTOR TADEU CASTRO II

Anne with an E – Netflix Series

Anne with an E, é uma série canadense com um monte 1729687jovens (crianças na verdade na primeira temporada) e atores já de idade avançada, que dão simplesmente um show de atuação. As crianças são sensacionais, os adultos também o são, mas acabam ofuscados por tanto talento jovem. Ponto e é só isso que vou falar de elenco atuação e tudo o mais, até porque o que não falta na internet são experts tratando do assunto com muito mais qualidade que eu sequer poderia ousar ter… ou melhor nem ouso. Vocês que me acompanham sabem que eu simplesmente compartilho minhas experiências e sensações, então é o que vamos fazer.

Anne-With-An

Na minha leiguice posso apenas dizer que é uma série linda, linda, linda em todos os aspectos: visual, ambientação, trama, reviravoltas, etc…. você ri, chora, se emociona de diversas formas em um mesmo episódio, uma única cena.. enfim…

Leia o resto deste post

Uma questão de perspectiva (Senhas – Adriana Calcanhotto)

M&A 09032020

[REFLEXÃO] 06.03.2020

Texto By Angela Oliveira

No dia que eu me deparei com essa frase  havia uma carroça parada em frente ao portão,  aparentemente, é um local de descarte, pois o homem entrava e saía com tonéis para colocar na carroça.

A frase ficou martelando na minha cabeça e com o passar do dia fui nutrindo uma empatia por quem escreveu. Certamente, precisava se comunicar, delimitar seu espaço, alertar. Talvez estivesse enfrentando obstáculos. Então, encontrou sua maneira de se fazer enxergar, de existir, deixar se ser invisível, de ocupar seu espaço.

“Proibido estacionar” é  fácil replicar, vê-se comumente, mas não  era suficiente, era preciso mais, era preciso reafirmar ao seu interlocutor sua necessidade de respeito. Talvez, subliminarmente, ele quisesse dizer: amigo, “necilocao”, eu estaciono minha carroça, faço um trabalho duro para ganhar meu sustento, não me atrapalhe, preciso desse espaço.

Se no início o que eu via era um erro de português,  agora vejo a necessidade de fortalecer a empatia, o respeito pelo outro, a admiração pelo indivíduo que não se limitou, não se intimidou por não dominar as regras da língua portuguesa, foi à luta e se superou. Precisava falar, precisava ter a sua necessidade acolhida e certamente todo mundo que passa por lá entende que é “PROIBIDO ESTACIONAR NECILOCAO”.

Sobre a autora

Angela Oliveira

Tenho duas graduações, três pós, um mestrado, mas nada disso me define. O que me define mesmo é a minha gargalhada, dizem que posso ser reconhecida quando alguém ouve… Gosto disso, de ser lembrada pela alegria. No mais, sou tranquila, do bem, da paz, procurando sempre melhorar a lida com a vida, comigo mesmo, com as circunstâncias que me emparedam, tudo isso pra evoluir, do contrário tudo seria em vão.
AUTORA ANGELA OLIVEIRA

Eis aqui o meu Line Up dos sonhos…

PALCO GIGANTE
[MÚSICA] 21.02.2020

Sou do tempo do Hollywood Rock… Pois é, frequentei os shows do pai do Rock in RIO… Impossível não dizer que o show mais importante que presenciei na vida foi dos Rolling Stones… Mesmo tendo que admitir que o mais perfeito tecnicamente foi o do Aerosmith. Steven Tyler no palco é inigualável!!!… Mas eu tenho guardado comigo aquele que seria o meu Line Up dos sonhos… Então vai aqui como eu organizaria duas noites inesquecíveis de shows bem diversos… Qual desses vocês gostariam de assistir?!?

Local: Vale do Anhangabaú (São Paulo/SP)
(Por motivos puramente afetivos da minha memória musical)

SÁBADO

18:00 – Liniker
Abriria a primeira noite com essa pedra preciosa de uma geração que definitivamente não está entre as mais ricas da história da nossa música. Ela representa ousadia e consistência, além é claro, de uma música cheia de originalidade. 


19:00 – Karnak
Mesmo que meio esquecida pelo tempo, a banda liderada por André Abujamra certamente teria seu lugar no palco do meu festival dos sonhos.


20:00 – Mundo Livre SA
Uma das bandas precursoras do Mangue Beat, o último grande movimento da música brasileira, certamente estaria presente na festa.


21:00 – Rodrigo Amarante
Uma das figuras mais interessantes surgidas na música brasileira nos último vinte anos, daria seguimento a essa primeira noite de shows.


22:00 – O Terno
Banda paulistana que consegue ir da auto ironia a questões existencialistas com a mesma classe em suas letras, e o mais importante, sempre produzindo música de qualidade.


23:00 – The Strokes
Aqui talvez a banda que mais influenciou os rumos do pop rock mundial nos anos 2000. Fecharia a primeira noite em grande estilo!


DOMINGO

18:00 – Johnny Hooker
Vem de Recife (certamente não por acaso) mais uma figura bastante interessante da nova geração da música brasileira. Ousadia e boa música, essa seria a marca registrada desse meu festival dos sonhos.


19:00 – Los Hermanos
Impossível imaginar meu Line Up dos sonhos sem aquela que é para mim a banda mais consistente das duas últimas décadas na música brasileira. Salve Los Hermanos!


20:00 – Otto
Mais um representante que apareceu  para o público no profícuo momento que viveu a música de Pernambuco nos anos 1990.


21:00 – Humberto Gessinger
O representante da turma dos anos 1980 que (na minha opinião) envelheceu com mais dignidade, daria continuidade a segunda noite.


22:00 – Radiohead
O pré-encerramento do festival traria esse peso pesado do seu tempo. O que dizer dessa banda magnífica?!?


23:00 – Guns N Roses
Não consigo imaginar o encerramento perfeito de um festival de música que não traga ao palco Axl Rose e Slash… Será sempre um encerramento apoteótico!

TADEU CASTRO

> SOBRE O AUTOR
Um cara sem diplomas na parede. Não é, e nem pretende ser, especialista em coisa alguma. Trata-se apenas de um bom observador (nada mais do que isso), pois isso lhe basta e o faz um ser livre, seja no olhar, no pensar e no viver.

AUTOR TADEU CASTRO II

Feliz aniversário: Tom Alves

Hoje é aniversário desse cara que me ensinou uma das coisas mais gratificantes dessa vida: compor uma canção!

Nossa história e amizade, assim como nossas personalidades, nunca foi de estabilidade e calmaria: sempre com muita paixão e intensidade. Nunca mais ou menos. Sempre excessiva!!

Roberto e Erasmo, Paul e John, Márcio e Lô ou mesmo os irmãos Ramil, isso, isso aí: irmãos define mais. Mas não por meros laços consangüíneos, além disso: aqueles que a vida nos presenteia e escolhemos ter.. mas voltando, somos esses caras, SEM guardadas devidas NENHUMA proporção… Apenas ex jovens sonhadores, da periferia, vindos de um lugar pobre (e permanecendo nele até hoje), sem nenhuma oportunidade, sem nenhum holofote… Mas que se foda. Como eu costumo dizer: AZAR DA MÚSICA!

Tom Alves, que sem dúvida alguma um dos maiores compositores VIVOS (por enquanto) da música popular brasileira e entre os mortos também. Um talento raro, escondido, oculto, que talvez nunca venha ser achado, como diria Raul: talvez no dia do eclipse.
Não é corporativismo, porque quem conhece, quem já teve o prazer de ouvir suas composições singulares, sabe que é isso tudo e ainda mais.

Eu, graças ao movimento de rotação da Terra, tive a honra e o prazer de aprender um pouquinho, compusemos incontáveis, algumas persistem apenas em nossa memória, outras se perderam junto as nossas loucuras e excessos, que acarretaram em nosso pequeno coquetel cotidiano antisuicida de anos e anos, goela abaixo, surtos e psicoses, que pelo visto nem Freud explica… Mas alguma pouca coisa tá aí na rede..

Essa por exemplo é uma composição nossa em três mãos, seriam quatro, caso a minha prima quisesse estar nos créditos, mas enfim, participação não menos importante dele que além de dar voz a esse registro histórico, chegou com a melodia e uma ideia fixa na cabeça e nós (eu e Wellington, esse a quem vocês chamam de Tom) apenas fomos na onda e ao final, esse foi o resultado. Uma gravação em estúdio ao vivo, num take só e com direito Eduardo Louzada errando a letra.

Enfim: lembro desse dia como se fosse hoje… Uma das épocas mais intensas e emocionantes da nossas vidas.

Um breve resumo… Só pra dizer: PARABÉNS WELLINGTON, VIADÃO, maluco, depressivo e broxa. Te amo bichona. Nossa amizade é igual piroca de velho, mas velho limpinho, que lava a rola (se não dá câncer) balança mas não cai e às vezes até endurece (pro bem ou pro mal).

Que essa data se repita pelo tempo que você julgar suficiente ou que a gente encontre alguma satisfação em estar vivo!

Rap bordei, parabéns, congratulations and fuck It all! UM BRINDE: À PORRA TODA!

Só pra Variar – Raul Seixas / mimimi do blogueiro

Tem que acontecer alguma coisa, neném!
Parado é que eu não posso ficar.

É pena eu não ser burro,
Eu não sofria tanto.

Leia o resto deste post

Unbelievable (Inacreditável) – Netflix (EMF – Bonus Track)

A minissérie Unbelievable da Netflix, é uma das gratas surpresas da Plataforma de serviço de streaming. Confiram o trailler:

Uma obra baseada em fatos, que eu diria obrigatória, além de superatual com tudo que temos visto mundo a fora (especialmente Brasil a dentro) no que se refere às mulheres e a atual situação das mesmas, que anos após anos e anos de lutas e buscas por direitos iguais, por direito de terem suas vozes ouvidas, serem respeitadas, etc, podemos observar: ainda estamos bem longe disso.

Leia o resto deste post

Resoluções de ano Novo… 2020 – Canto para minha Morte – Raul Seixas

Então gente: não tem resolução!

Emagrecer, retomar estudos, ser uma pessoa melhor, plantar uma árvore, doar sangue, parar de beber (nem fudendo), largar o cigarro (larguei.. tá ali em cima na estante, depois eu pego), mudar de emprego, reformar casa, cuidar da saúde (por sinal tá bem fudida), deixar de ser um bosta…. o máximo que eu consigo chegar é: tentar me manter vivo. Isso eu posso tentar, mas não posso garantir.

São tantos projetos, como sempre e nada vai pra frente, nada anda, tudo pelo contrário, só desmorona… o pouco que tem se desfaz… cest la vie, eu sei… mas porra, tá um tanto demais…

Lei de Murphy esse ano, foi basicamente Regra de Murphy… tudo, absolutamente tudo que podia dar errado: DEU.

Ano Maldito.. e sei que 2020 é a continuação hardcore, pior que o que está se encerrando. Assim como eu previ: 2016, 2017, 2018,2019… agora, duvido muito estar errado… por isso minha unica resolução – que nem é assim porque quero, nossa, como eu desejo, talvez muito pelo contrário.

Por isso fico com essa canção que diz: “Eu te detesto e amo, morte, que talvez, seja o segredo dessa vida!”

Detesto, porque não era nem pra ter nascido…. amo, porque, é o fim dessa bosta toda.

Radiohead e a melancolia dos nossos tempos

MEA20052019

[MÚSICA / OPINIÃO] 26.12.2019

É relativamente comum comentários sobre a banda inglesa Radiohead, a denominando como depressiva ou coisa do tipo. Com uma obra, como um todo, bastante conceitual, seja nos nove álbuns já lançados até hoje, como nos vídeo-clipes – tratados com o cuidado de um longa metragem de cinema e visualizados por milhões de acessos no Youtube – , a banda construiu uma identidade própria e toda vez que modificou o seu som, as mudanças sempre soaram como algo natural, orgânico, uma evolução na sua música.
Leia o resto deste post

O charme debochado dos cariocas (Cariocas – Adriana Calcanhotto)

FOTO M&A

[MÚSICA / REGIONALISMOS] 19.11.2019

Qual a antítese perfeita de um carioca? Um paulista!

Mesmo que tenham origem em cidades próximas, a maneira de enxergar o mundo de um e de outro são impressionantemente distantes. Certamente devem existir motivações históricas e geográficas para que assim seja, mas não é disso que quero tratar aqui nesse texto. A reflexão que proponho aqui é mais simples (comparativa mesmo), até para que possamos ver o que encontramos de interessante e de (porque não?) desprezível em cada um dos lados.
Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: